Marcelo Leite

Ciência em Dia

 

Miscelânea

61 Nobel apóiam Obama

61 Nobel apóiam Obama

Barack Obama recebeu um apoio de peso: 61 ganhadores de um Nobel publicaram carta a seu favor, num movimento organizado por Harold Varmus presidente do Memorial-Sloan Kettering Cancer Center de NOva York e agraciado com o prêmio de Medicina de 1989 (curiosidade: quando seu prêmio foi anunciado, Varmus era um "Nieman spouse", ou seja, acompanhava a mulher, Connie, durante a bolsa Nieman para o ano sabático que a jornalista usufruía na Universidade Harvard).

Não creio que o apoio vá fazer muita diferença, eleitoralmente. Afinal, os Estados Unidos são o país em que John McCain conseguiu dar um gás na sua candidatura escolhendo uma desconhecida fotogênica que tirou seu primeiro passaporte em 2007. Mas é engraçado ver tanta gente, de Marshall Nirenberg a Jim Watson e Wally Gilbert, na mesma lista.

Por falar em Nobel, os anúncios dos prêmios deste ano começam dia 6. Acompanhe aqui.

Eis a lista:


Escrito por Marcelo Leite às 12h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Abaixo o pensamento positivo dos EUA

Abaixo o pensamento positivo dos EUA

Barbara Ehrenreich, um misto de socióloga com jornalista, é alguém que se deve ler com atenção. Hoje no jornal The New York Times ela dá uma paulada na cultura do otimismo, autoconfiança e delírio carreirista que assola os Estados Unidos (ou assolava, antes da crise) e sustenta a alcatéia de autores de livros de auto-ajuda que se vêm às pencas nas livrarias de aeroporto.

Leia alguns trechos da fulana:


A idéia é acreditar firmemente que você vai conseguir o que quer, não só porque isso o fará sentir-se bem, mas porque "visualizar" algo - ardente e concentradamente - de fato faz com que aconteça. Você será capaz de pagar aquela hipoteca de juros variáveis ou, na outra ponta da transação, transformar milhares de hipotecas podres em gigalucros - basta acreditar que você pode. (...)

O pensamento positivo é endêmico na cultura americana - dos programas de emagrecimento aos grupos de apoio ao câncer - e, nas duas últimas décadas, lançou raízes profundas também no mundo corporativo. (...)

A antes sóbria indústria das finanças não ficou imune.  Nos seus websites, oradores motivacionais relacionam com orgulho companhias como Lehman Brothers e Merrill Lynch entre seus clientes. Mais que isso: para aqueles bem lá no topo da hierarquia corporativa, todo esse pensamento positivo não deve ter parecido nada delirante. Com a escalada da remuneração de executivos, os chefes podiam obter quase tudo que quisessem, bastava exprimir o desejo. Ninguém estava psicologicamente preparado para os tempos duros quando eles irromperam, porque, de acordo com os mandamentos do pensamento positivo, até pensar em problemas era atraí-los. (...)

Quando se trata de como pensamos, "negativo" não é a única alternativa a "positivo". Como mostram os casos de deprimidos, o pessimismo consistente pode ser tão imotivado e delirante quanto seu oposto. A alternativa a ambos é o realismo - enxergar os riscos, ter coragem para enfrentar as más novas e estar preparado para a penúria assim como para a fartura. Deveríamos dar-lhe uma chance.


Deveriam traduzir o texto e distribuir nas faculdades de administração e marketing de todo o Brasil. Talvez uma cópia também exercesse alguma influência nas mãos de Lula, nestes tempos de pré-sal e crises que "não atravessam o Atlântico"..

Escrito por Marcelo Leite às 10h55

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Marcelo Leite Marcelo Leite é repórter especial da Folha e autor do livro "Promessas do Genoma".
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha Online.