Para melhorar o clima

Soube por meio do Yale Forum on Climate Change and the Media que foi lançado em 19 de abril uma página jornalística só para reportagens sobre mudança do clima, Climate Desk (algo como "Editoria do Clima"). Já começou com reportagens de peso, como esta, de Mark Hertsgaard, sobre efeitos do aquecimento global na produção de vinhos.

Se você for admirador de publicações americanas como Wired, Slate, The Atlantic, Mother Jones e Grist, vai adorar. Elas se uniram ao Center for Investigative Reporting e ao programa "Need to Know" da TV pública PBS para "explorar o impacto humano, ambiental, econômico e político do clima em mudança", uma "história fascinante" que não tem sido bem contada.  Há quatro razões para o fracasso, segundo os organizadores da página:


1) A mudança do clima se dá em câmera lenta e é grande demais para as organizações noticiosas darem conta dela; 2) A cobertura que calha de existir tende a ser fragmentada e compartimentalizada - aspectos científicos, tecnológicos, políticos e empresariais tendem a ser cobertos por equipes separadas, apesar das conexões intrínsecas; 3) Com excessiva frequência a cobertura se fixa na vida selvagem ameaçada, no jogo político ou no "debate" sobre a existência da mudança do clima, tudo às custas do avanço da história maior - como vamos enfrentar, mitigar e nos adaptar a ela; 4) Os cortes nas organizações noticiosas só estão piorando as coisas.