Marcelo Leite

Ciência em Dia

 

Ecologias

Novos questionamentos sobre autores do IPCC

 
 

Novos questionamentos sobre autores do IPCC

Assim como defendo o conjunto da obra do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima) nas últimas duas décadas, não posso deixar de noticiar quando novas acusações contra ele vêm à luz. Graças ao leitor roelf.cruz@yahoo.com.br , tomo conhecimento de reportagem no diário britânico The Guardian nada abonadora para Phil Jones, figura central no escândalo das mensagens de e-mail hackeadas da Universidade de East Anglia - já abordado aqui como "Climagate".

Duas observações rápidas:
1) Fred Pearce, veterano repórter da cobertura sobre aquecimento global, é insuspeito de conspirar contra o IPCC;
2) Não deixem de atentar para a seguinte frase de sua reportagem:
"The revelations on the inadequacies of the 1990 paper do not undermine the case that humans are causing climate change, and other studies have produced similar findings. But they do call into question the probity of some climate change science" (As revelações sobre as inadequações do artigo de 1990 não solapam a afirmação de que seres humanos estão causando a mudança do clima, e outros estudos têm produzido achados similares. Mas eles põem em questão, sim, a probidade de parte da ciência da mudança do clima).

Dito isso, não posso deixar de anotar: mesmo sendo um caso isolado, é péssimo para o IPCC. Seus inimigos se apegarão a esses casos lamentáveis para pôr sob suspeita todo o corpo de trabalhos (quatro relatórios com o estado da arte da climatologia) do órgão, que ainda é o melhor esforço de sistematização da pesquisa sobre aquecimento global disponível.

Escrito por Marcelo Leite às 16h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mês cruel

 
 

Mês cruel

(...)
Hoje, o jornalismo econômico mais sério e menos editorializado (ideológico) começa a fazer as contas de quanto custa não pensar e planejar de modo ambientalmente estratégico. São cálculos difíceis de fazer. Qual o prejuízo para a economia de uma megalópole como São Paulo depois de quase 40 dias de chuvas torrenciais?

Não perdem só os mais pobres entre os pobres -tudo: muitos parentes e poucas posses- nos tugúrios úmidos de tábuas e blocos que equilibram sobre barrancos. Madames adiam incursões ao shopping. Sacoleiras partem mais cedo da 25 de Março, com receio do temporal vespertino. (...)

Leio no jornal "Valor Econômico" que só a elevação do piso de três pavilhões do entreposto Ceagesp pode custar de R$ 60 milhões a R$ 100 milhões. Engana-se o paulistano se achar que isso não afeta o seu bolso. O custo-enchente é partilhado por todos, seja nos preços em alta, seja na fuga de empresas e empregos da cidade afogada.

Agora imagine que a chuvarada de janeiro possa não ser exceção, mas sintoma de um distúrbio novo. Meteorologistas e climatólogos, ciosos da precariedade inerente a suas previsões, hesitam em vincular o aguaceiro à mudança do clima. Um leigo, porém, está livre para especular. (...)

Seriam três os fatores convergindo para sustentar tamanha anomalia: 1) El Niño, o aquecimento anormal da superfície do Pacífico junto à América do Sul, que faz chover mais no Sul-Sudeste do Brasil; 2) águas do Atlântico mais quentes -cerca de 2C- que o usual; 3) excesso de umidade proveniente da Amazônia. (...)

Todos os três fenômenos relacionados acima, se não chegam a ser a arma fumegante do aquecimento global causado pelo homem, mostram-se pelo menos compatíveis com as previsões gerais sobre mudança do clima. (...)


Leia a íntegra da coluna Ciência em Dia na Folha (aqui, só para assinantes).

Escrito por Marcelo Leite às 11h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Marcelo Leite Marcelo Leite é repórter especial da Folha e autor do livro "Promessas do Genoma".
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha Online.