Marcelo Leite

Ciência em Dia

 

Ciência e Sociedade

Mais ética na academia

 
 

Mais ética na academia

A imagem sob suspeita (reprodução)

Aos poucos parece que o caso do suposto plágio em artigo com co-autoria da atual reitora da USP, Suely Vilela (leia aqui e aqui), vai deixando a questão localizada do plágio para suscitar uma discussão mais ampla das duvidosas práticas de autoria de artigos científicos.

É a coisa certa a fazer - ampliar o diagnóstico. É opinião corrente nos meios acadêmicos e intelectuais que a pressão por publicações, a organização semi-industrial da pesquisa científica e a competição entre periódicos acadêmicos estão conduzindo a um relaxamento ético no setor, com aumento da frequência de fraudes, manipulações e deslizes.

O jornalismo científico investigativo precisa se debruçar sobre o fenômeno, se os próprios filtros acadêmicos não estão dando conta de separar o joio do trigo - ou publicando o joio, como diz a boutade de H.L. Mencken. É a fé pública da ciência que está em jogo.

Recebi de um leitor, que pede para manter sua identidade oculta (o que me parece justificável no caso), algumas observações sobre fatos colhidos nos currículos Lattes de envolvidos no caso. Eles sugerem que pode haver algo de anormal na produtividade e nos costumes do grupo que produziu a pesquisa ora sob sindicância:


Carolina Dalaqua Sant´Ana defendeu o doutorado em 2008. Segundo o Lattes de seu orientador, os membros da banca eram: FONTES, M R M; RODRIGUES, V. M.; ALBUQUERQUE, S; dos Santos. A.C.; SOARES, A. M. Dois desses membros da banca são também co-autores de Carolina em artigos publicados em 2008 e 2007 (e 2006, e 2005). Um dos membros da banca é co-autor do artigo com o suposto plágio. Papers de 2005, supõe-se, já poderiam fazer parte de seu doutorado. Co-autores do estudante podem participar da banca do estudante?

 

Os pesquisadores-colaboradores-participantes da banca da Carolina são M.R.M Fontes (físico que agora estuda toxinas) e o biólogo Sergio Albuquerque  (especialista em tripanossoma, organismo supostamente retratado na foto sob suspeita). Todos livre-docentes da USP, pesquisadores de primeiro escalão do CNPq.

O orientador de doutorado Andreimar Soares e a orientadora de mestrado Suely Vilela estão presentes na maior parte desses artigos. É quase como se fosse uma organização para publicar papers em escala industrial. Andreimar Soares publicou 21 papers apenas neste ano (2009) - dá dois artigos por mês.


Eis a legenda, em inglês, da figura em questão (acima):

Fig. 3. Transmission electron microscope of parasites treated with Bothrops jararaca LAAO. Trypanosoma cruzi epimastigote forms were incubated for 24 h with 5 and 15 μg/ml of BjarLAAO-I. (A) untreated parasite showing kinetoplast (k) and nucleus (n); (B) treated parasite with 5 μg/ml of BjarLAAO-I exhibiting kinetoplast disorganization. Note the gross alterations in the organization of the nuclear and kinetoplast chromatins. (C) Parasites completely destroyed after treatment with 15 μg/ml of BjarLAAO-I. Transmission electron microscopy of Leishmania amazonensis promastigotes cultivated in untreated (D) and treated medium with BjarLAAO-I (E). Promastigotes treated for 24 h with enzyme (5 μg/ml) showing alterations in the flagella or nucleus (arrows). Bars = 0.5–1.0 μm. These data are representative of three experiments.

Escrito por Marcelo Leite às 11h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A reitora e a ética acadêmica

 
 

A reitora e a ética acadêmica

Não consegui encontrar no site da USP a nota da reitora Suely Vilela sobre o caso de plágio de artigo científico em que aparece como co-autora, segundo reportagem (aqui, só para assinantes) de Eduardo Geraque na Folha de hoje. O que li no "outro lado" publicado pelo jornal não chega a ser esclarecedor.

Parece provável que a reitora não tenha tido participação direta no suposto plágio. Mas isso quer dizer que não tenha responsabilidade? Não é de hoje que se discute na comunidade acadêmica como é frouxa a noção de autoria em artigos científicos, certamente uma deterioração ética induzida pela pressão por produtividade.

A reitora quer distanciar-se de Carolina D. Sant'Ana, a autora da tese de doutorado que virou artigo do periódico Biochemical Pharmacology agora posto em questão. Segundo a Folha, a nota de Vilela afirma: "Minha colaboração com o docente [Andreimar Martins Soares, orientador de Sant'Ana] é na área de isolamento e purificação de toxinas animais, matéria distinta em relação às passagens e imagens questionadas."

Fiquei curioso em saber se Vilela vai mencionar em alguma nota que foi orientadora do mestrado defendido por Sant'Ana em 2005, como se pode verificar em seu currículo Lattes. Ali também se podem contar mais de 30 trabalhos da pesquisadora em que Suely Vilela aparece como co-autora, a maioria de 2004 a 2008, quando já era pró-reitora e reitora.

Seria interessante se a reitora também esclarecesse qual foi exatamente sua participação no artigo em tela e nas outras dezenas (vários periódicos já exigem dos autores que detalhem quem fez o quê). Se não o fizer, deixará no ar a suspeita que tenha melhorado seus índices de produtividade por meio do que se chama eufemisticamente de "autoria honorária". Uma enganação, incompatível com a ética acadêmica, que proíbe levar crédito pelo trabalho alheio.

Adendo às 19h30: Graças ao leitor Roberto Takata, descubro que a nota da reitoria pode ser lida aqui, tendo sido divulgada às 16h20 de hoje. Leia e diga se esclarece alguma coisa.

Escrito por Marcelo Leite às 13h31

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Marcelo Leite Marcelo Leite é repórter especial da Folha e autor do livro "Promessas do Genoma".
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha Online.