Questão de (re)consideração

A coluna "Analfabetos em números", usou termos pesados ("máquina de propaganda" etc.) para referir-me à Secretaria de Imprensa da Presidência da República. Como o objeto da crítica pelo descaso e pela imperícia no trato com estatísticas era o governo todo, e não só a secretaria, e como não é razoável esperar que esta se dedique a desfazer todos os erros do chefe, em retrospecto pode-se dizer que os qualificativos eram desnecessários.
Esta reconsideração é fruto de uma troca de mensagens eletrônicas com o secretário Nelson Breve, cuja íntegra pode ser lida abaixo.