Complicações e libertações

(...) Com tanta coisa para dar errado num organismo, milagre é que tantos vivam com saúde. Já elogiei aqui, também, o fantástico livro "Mutantes", de Armand Marie Leroi. Salvo engano, esse apoio enfático não foi ainda capaz de tocar o coração e a mente de algum editor brasileiro.

Se o leitor tem queda pelo mundo das esquisitices médicas, segue aqui outra recomendação -de leitura, porque editado no Brasil o livro já foi. Aliás, há muito tempo: seis anos. A lerdeza do colunista não justifica, porém, que um autor tão bom seja omitido: Atul Gawande, que nos fez o favor de escrever "Complicações - Dilemas de um Cirurgião diante de um Ciência Imperfeita" (Objetiva).

Mais do que revelar bastidores da medicina, coisa que faz com a competência narrativa de qualquer colaborador da revista "New Yorker", o americano Gawande nos transporta para dentro da cabeça de um médico em formação. Melhor ainda: para o âmago do que seria o torturado "órgão moral" do aprendiz de medicina.

O narrador, como tantos dos médicos com que temos de (nos) tratar, lida a cada momento com desafios excruciantes. Tem de decidir o que fazer, mesmo na ausência de todas as informações confiáveis que gostaria de obter. Não são muitos aqueles capazes de confiar na própria intuição quando é a saúde, a dor ou até a vida de outrem que está na linha. (...)


Leia o restante da coluna Ciência em Dia no jornal Folha de S.Paulo (aqui, só para assinantes).