Marcelo Leite

Ciência em Dia

 

Ciência e Sociedade

Química na Academia Brasileira de Ciências

Química na Academia Brasileira de Ciências

Estes são os índices h (número de artigos publicados que alcançam pelo menos esse mesmo número de citações) calculados por Rogerio Meneghini para os membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) na área de química com base em dados de agosto de 2006; no final, a média de uma amostra de pesquisadores da mesma área na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS-EUA):

Para mais informações, consulte o artigo “Comparação de cientistas da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Ciências dos EUA com base no índice h”, que Meneghini publicou com Abel Packer e Rogério Mugnaini no periódico Brazilian Journal of Medical and Biological Research.

Escrito por Marcelo Leite às 11h25

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Matemática na Academia Brasileira de Ciências

Matemática na Academia Brasileira de Ciências

Estes são os índices h (número de artigos publicados que alcançam pelo menos esse mesmo número de citações) calculados por Rogerio Meneghini para os membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) na área de matemática com base em dados de agosto de 2006; no final, a média de uma amostra de pesquisadores da mesma área na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS-EUA):

Para mais informações, consulte o artigo “Comparação de cientistas da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Ciências dos EUA com base no índice h”, que Meneghini publicou com Abel Packer e Rogério Mugnaini no periódico Brazilian Journal of Medical and Biological Research.

Escrito por Marcelo Leite às 11h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Física na Academia Brasileira de Ciências

Física na Academia Brasileira de Ciências

Estes são os índices h (número de artigos publicados que alcançam pelo menos esse mesmo número de citações) calculados por Rogerio Meneghini para os membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) na área de física com base em dados de agosto de 2006; no final, a média de uma amostra de pesquisadores da mesma área na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS-EUA):

Para mais informações, consulte o artigo “Comparação de cientistas da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Ciências dos EUA com base no índice h”, que Meneghini publicou com Abel Packer e Rogério Mugnaini no periódico Brazilian Journal of Medical and Biological Research.

Escrito por Marcelo Leite às 11h15

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Engenharia na Academia Brasileira de Ciências

Engenharia na Academia Brasileira de Ciências

Estes são os índices h (número de artigos publicados que alcançam pelo menos esse mesmo número de citações) calculados por Rogerio Meneghini para os membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) na área de engenharia com base em dados de agosto de 2006; no final, a média de uma amostra de pesquisadores da mesma área na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS-EUA):

Para mais informações, consulte o artigo “Comparação de cientistas da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Ciências dos EUA com base no índice h”, que Meneghini publicou com Abel Packer e Rogério Mugnaini no periódico Brazilian Journal of Medical and Biological Research.

Escrito por Marcelo Leite às 11h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Saúde na Academia Brasileira de Ciências

Saúde na Academia Brasileira de Ciências

Estes são os índices h (número de artigos publicados que alcançam pelo menos esse mesmo número de citações) calculados por Rogerio Meneghini para os membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) na área de ciências da saúde com base em dados de agosto de 2006; no final, a média de uma amostra de pesquisadores da mesma área na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS-EUA):

Para mais informações, consulte o artigo “Comparação de cientistas da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Ciências dos EUA com base no índice h”, que Meneghini publicou com Abel Packer e Rogério Mugnaini no periódico Brazilian Journal of Medical and Biological Research.

Escrito por Marcelo Leite às 10h59

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ciências da Terra na Academia Brasileira de Ciências

Ciências da Terra na Academia Brasileira de Ciências

Estes são os índices h (número de artigos publicados que alcançam pelo menos esse mesmo número de citações) calculados por Rogerio Meneghini para os membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) na área de ciências da Terra com base em dados de agosto de 2006; no final, a média de uma amostra de pesquisadores da mesma área na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS-EUA):

Para mais informações, consulte o artigo “Comparação de cientistas da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Ciências dos EUA com base no índice h”, que Meneghini publicou com Abel Packer e Rogério Mugnaini no periódico Brazilian Journal of Medical and Biological Research.

Escrito por Marcelo Leite às 10h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Humanas na Academia Brasileira de Ciências

Humanas na Academia Brasileira de Ciências

Estes são os índices h (número de artigos publicados que alcançam pelo menos esse mesmo número de citações) calculados por Rogerio Meneghini para os membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) na área de ciências humanas com base em dados de agosto de 2006; no final, a média de uma amostra de pesquisadores da mesma área na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS-EUA):

Para mais informações, consulte o artigo “Comparação de cientistas da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Ciências dos EUA com base no índice h”, que Meneghini publicou com Abel Packer e Rogério Mugnaini no periódico Brazilian Journal of Medical and Biological Research.

Escrito por Marcelo Leite às 10h49

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Biomédicas na Academia Brasileira de Ciências

Biomédicas na Academia Brasileira de Ciências

Estes são os índices h (número de artigos publicados que alcançam pelo menos esse mesmo número de citações) calculados por Rogerio Meneghini para os membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) na área de ciências biomédicas com base em dados de agosto de 2006; no final, a média de uma amostra de pesquisadores da mesma área na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS-EUA):

Para mais informações, consulte o artigo “Comparação de cientistas da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Ciências dos EUA com base no índice h”, que Meneghini publicou com Abel Packer e Rogério Mugnaini no periódico Brazilian Journal of Medical and Biological Research.

Escrito por Marcelo Leite às 10h42

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Biológicas na Academia Brasileira de Ciências

Biológicas na Academia Brasileira de Ciências

Estes são os índices h (número de artigos publicados que alcançam pelo menos esse mesmo número de citações) calculados por Rogerio Meneghini para os membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) na área de ciências biológicas com base em dados de agosto de 2006; no final, a média de uma amostra de pesquisadores da mesma área na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS-EUA):

Para mais informações, consulte o artigo “Comparação de cientistas da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Ciências dos EUA com base no índice h”, que Meneghini publicou com Abel Packer e Rogério Mugnaini no periódico Brazilian Journal of Medical and Biological Research.

Escrito por Marcelo Leite às 10h32

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Agronomia na Academia Brasileira de Ciências

Agronomia na Academia Brasileira de Ciências

Estes são os índices h (número de artigos publicados que alcançam pelo menos esse mesmo número de citações) calculados por Rogerio Meneghini para os membros da Academia Brasileira de Ciências (ABC) na área de agronomia com base em dados de agosto de 2006; no final, a média de uma amostra de pesquisadores da mesma área na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (NAS-EUA):

Para mais informações, consulte o artigo “Comparação de cientistas da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Ciências dos EUA com base no índice h”, que Meneghini publicou com Abel Packer e Rogério Mugnaini no periódico Brazilian Journal of Medical and Biological Research.

Escrito por Marcelo Leite às 10h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

As políticas do embrião

As políticas do embrião

É uma pena que o artigo "Identificando Países com Desempenho Baixo e Alto em Pesquisa Relacionada com Células-Tronco Embrionárias Humanas", de Aaron Levine, tenha sido publicado uma semana depois da decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) favorável à pesquisa com embriões. Ele deixaria mais claro todo o atraso do debate brasileiro sobre pesquisa biomédica.

O estudo de Levine, do Instituto de Tecnologia da Geórgia (EUA), foi editado eletronicamente no periódico "Cell Stem Cell". Ele compara 16 países que produziram pelo menos 1% dos estudos sobre o assunto (ou outros temas de biomedicina) publicados desde 1998, quando o grupo de James Thomson na Universidade de Wisconsin anunciou a primeira linhagem de células-tronco embrionárias humanas (CTEHs, para encurtar).

A constatação de Levine é meio óbvia: países com mais restrições legais à pesquisa com embriões têm desempenho mais baixo na área. Mas sempre é útil ver o óbvio encarnado em dados verificáveis. Especialmente naqueles lugares do planeta onde -talvez por influência de fatores climáticos- parece mais difícil enxergar o óbvio.

O Brasil, como seria de esperar, não passou pela barreira de 1%. Eis os 16 que entraram, ordenados pela fatia do total mundial de estudos sobre CTEHs (entre parênteses): Estados Unidos (36%), Reino Unido (11%), Japão (10%), Alemanha (5,7%), Israel (5,4%), China (5%), Austrália e Coréia do Sul (3% cada), Cingapura e França (2,9%), Canadá (2,7%), Suécia (2,1%), Itália (1,4%), Espanha e Holanda (1,2%) e Suíça (0,3%). Todos os outros países juntos somam 6,1% dos estudos.


Leia a íntegra da coluna Ciência em Dia na página da Folha de S.Paulo.

 

Pós-escrito

Não deu para explicar em detalhes na coluna, mas o ranking composto por Aaron Levine é engenhoso. Para obter uma medida do desempenho relativo de cada país com células-tronco embrionárias humanas, ele comparou a produção nessa área (número de artigos em periódicos científicos) com outro ramo quente de pesquisa, os estudos sobre interferência de RNA. Os dados estão na tabela acima; já a posição de cada país incluído no ranking, em ambos os setores, pode ser avaliada no gráfico abaixo.


Escrito por Marcelo Leite às 07h50

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Marcelo Leite Marcelo Leite é repórter especial da Folha e autor do livro "Promessas do Genoma".
RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha Online.